VOCÊ ESTÁ LENDO >> Marina Ruy Barbosa: quando ser criativa é um bom negócio
POR Andreia Meneguete | 8 de dezembro

Atriz global mostra como driblar tempos de crise e ser um dos nomes mais badalados na moda nacional

Bastou a atriz Marina Ruy Barbosa ser anunciada como diretora de moda da plataforma de market place ZZMall, do grupo Arezzo&Co, para um séquito de internautas questionarem a sua competência e valor diante da nova função. Afinal, o que pode permitir uma atriz exercer uma outra função, em outro segmento? Podemos deixar a resposta mais densa para o sociólogo polonês Zigmunt Bauman em suas teorias de mundo líquido, em que identidades e transições entre espaços são fluidos. Na contemporaneidade, segundo ele, não há tantas formas e limites estruturados, o que gera uma certa desorganização e incompreensão dos papéis dos indivíduos e instituições.

Marina Ruy Barbosa, em novembro, quando foi anunciada como diretora de moda do ZZMall

Mas a resposta pode ser mais prática e lógica: Marina Ruy Barbosa sabe gerir sua carreira de forma estratégica, compreendendo o valor da sua imagem, sua conexão tanto com o consumidor jovem quanto com o mais maduro, e, de quebra, soube se conectar à indústria criativa e às causas sociais de um jeito leve e espontâneo. E, sempre, tudo sendo costurado à sua própria essência.

Mais do que garota-propaganda ou persona construída por equipe de marketing, Marina entende o espírito de uma época. Compreendeu que tendências de consumo foram aceleradas num momento como a pandemia, exigindo novos comportamentos. Em um ano como 2020, foi ela quem lançou a própria marca de roupas sustentável, a Ginger, e a coleção Dream, da marca Life by Vivara, a qual criou não só as peças, mas como também dirigiu a campanha publicitária ao lado do diretor Giovanni Bianco. Como se não bastasse, Marina Ruy Barbosa acaba de lançar, juntamente com Alexandre Birman (de novo!), a collab entre GINGER X SCHUTZ.

 

GINGERXSCHUTZ

Collab GINGER X SCHUTZ: a atriz Marina Ruy Barbosa mostra que pode assumir diferentes papéis e funções

Contra fatos não há argumentos: definitivamente, não é sua posição de global que lhe garante louros. Pois, se assim fosse, muitos outros tantos famosos estariam com negócios de sucesso por aí. Não é somente a sua imagem, senão, muitos célebres dotados de beleza, que ficaram parados durante a pandemia, teriam seus business pipocando mídias sociais afora.

Como dizem os especialistas em gestão de negócios, um bom empreendedor é aquele que sabe observar o presente, colher informações e ter insights relevantes para o seu business. Mas além disso é necessário criatividade, estratégia e coragem para aproveitar as oportunidades. Hard e soft skills, que Marina Ruy Barbosa demosntra ter de sobra. Aguardemos as próximas novidades.



ESCRITO POR Andreia Meneguete
Founder @iam.inteligenciaemmoda, lecturer na @nafaap e @iedsp. Consultorias, treinamentos e palestras comunicação, varejo de moda e beleza.

Founder @iam.inteligenciaemmoda, lecturer na @nafaap e @iedsp. Consultorias, treinamentos e palestras comunicação, varejo de moda e beleza.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Business

17 de outubro

Desfile da ÃO no Projeto Estufa constrói o combo perfeito: crítica + inovação

As experimentações com formas e volumes apresentadas na passarela buscam contestar padrões ainda vigentes

por Giovana Marques
31 de janeiro

Yves Saint Laurent: “o último grande costureiro do mundo”

Conheça a história do estilista que revolucionou a imagem e o modo de vestir das mulheres

por Guilherme de Beauharnais
9 de dezembro

Há séculos “na Moda”, comunidade LGBTQ+ ganha mais espaço nas passarelas

25% dos 68 principais desfiles da temporada de primavera/verão 2019 tiveram modelos que se identificam...

por Guilherme de Beauharnais
13 de junho

Carine Roitfeld: conheça os planos ambiciosos da editrix para o business da moda

Após um tempo em silêncio, a francesa mostra os próximos passos para fazer barulho no...

por Letícia Becker Rafaela Carazzai

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
11 de junho

Moda e woke-washing: a mercantilização do corpo preto em um novo patamar

Jornalista Viviane Rocha relata o sequestro da humanidade das pessoas pretas

por Viviane Rocha
9 de junho

Semiótica da moda: a sensibilidade penetrante de Dior em “Disturbing Beauty”

Semioticista Clotilde Perez analisa os significados da beleza no novo filme da Dior

por Clotilde Perez
22 de maio

Carreira fashion: o que é preciso saber sobre jornalismo de moda

Do impresso ao digital, a jornalista Andreia Meneguete analisa as transformações de um jornalismo que se reinventa no tempo 

por Ivan Reis
22 de maio

GQ Brasil comemora 10 anos com diversidade no lifestyle

Com capas estreladas por Ludmilla, Ronaldo e o empresário David Vélez, a revista reformula seu projeto editorial

por Ivan Reis
22 de abril

Balen-gucci: o que fica da união de duas marcas potentes?

Em uma união inesperada com Balenciaga, Gucci traz à luz que quando se reformulam os signos, mudam-se significados

por Andreia Meneguete
15 de março

Para ler: 5 livros para entender moda masculina

Quer saber mais sobre moda masculina? Então, veja os livros que separamos para você iniciar a sua jornada de estudos

por Ivan Reis
15 de março

GQ Brasil sob nova direção: conheça as mudanças da revista

Agora com direção do jornalista Daniel Bergamasso, título de moda masculina ganha foco para comportamento

por Ivan Reis
30 de dezembro

IAM EDIT #01: o que fazer com os aprendizados de 2020

Ufa, 2020 parece que está chegando ao fim. E a gente tenta fazer uma retrospectiva do que realmente aconteceu e vivemos.

por Andreia Meneguete