VOCÊ ESTÁ LENDO >> Free Free ressignifica peças e endossa luta feminina no SPFW
POR Giovana Marques | 22 de outubro

Free Free, do inglês, “livre livre”. Na passarela, a plataforma multidisciplinar mostrou um casting diverso. Um desfile que fez com que o público do São Paulo Fashion Week refletisse sobre o como esse gênero é lindo, múltiplo e único. Este é o ideal que a diretora criativa Yasmine Sterea aplica no projeto.

Baixas, altas, magras, gordas, negras, pardas, cadeirantes, idosas, grávidas… todas foram protagonistas dos looks coloridos.

Desfile da plataforma apresentou casting diverso em cor, idade e formas. Foto: Francisco Cepeda

Com muitos bons excessos e procurando potencializar as peças, a Free Free reinventou roupas doadas por etiquetas como Reinaldo Lourenço, Cris Barros, Aluf e Osklen. Elas foram customizadas por comunidades de mulheres espalhadas pelo Brasil e apoiadas pela plataforma.

Babados em cores candy, bordados, crochê feito à mão, corações, arco-íris, strass, fluidez e transparência dão cara ao que o projeto prega: um mundo melhor e igualitário.

Ação na passarela

O protesto divertido e sonhador da plataforma ganha rigidez e seriedade quando uma placa com os dizeres “não ao feminicídio” aparece nas mãos de uma das modelos.

Enquanto lutam por essas demandas, as mulheres Free Free se vestem com alegria. É por meio de potencial criativo, da moda, beleza, arte e espiritualidade que a marca pretende mudar (ao menos um pouco) o mundo.



ESCRITO POR Giovana Marques

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Ponto de Vista

18 de outubro

Aluf traz leveza e atualidade no SPFW

Marca sob direção criativa de Ana Luisa Fernandes dá exemplo de atualidade

por Giovana Marques
20 de fevereiro

Sustentabilidade confusa: Burberry reduz carbono, apoia agricultura regenerativa mas deixa dúvida sobre escolhas têxteis

Marca se apoia na sustentabilidade e na estética grunge para se renovar

por Giovana Marques
21 de outubro

Cavalera milita (e convence) em desfile na SPFW

Marca sensibilizou plateia e passou mensagem sobre a importância e a necessidade de respeitar a...

por Zeinab Bazzi
1 de agosto

Coolhunting, espírito do tempo e consumo: reflexões e aprendizados com Iza Dezon

Uma conversa com a pesquisadora de tendências sobre a carreira de coolhunter e tendências de...

por Andreia Meneguete

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
20 de dezembro

Projeto 19M da Chanel: o fortalecimento do luxo

Com nova CEO na casa e inauguração oficial do projeto, a grife francesa promete enaltecer o artesanato de moda de luxo

por Júlia Vilaça
9 de dezembro

Jornalismo de Moda: e se a autora Clarice Lispector fosse capa da Vogue?

No mês que Clarice Lispector faria 100 anos, conheça a relação da escritora com o jornalismo de moda

por Ivan Reis
28 de agosto

Figurino do filme ‘Spencer’: o papel das marcas de moda no cinema

Filme sobre Lady Di traz figurino assinado por Chanel e mostra o poder das marcas nas narrativas em torno de biografias

por Carol Hossni
17 de agosto

O homem contemporâneo segundo Mário Queiroz

Análise de imagem: o professor e designer explica as transformações na moda masculina hoje

por Ivan Reis
10 de agosto

Vida em detalhes: na fila da vacina, vista sua esperança

Enquanto esperar é a única coisa que nos resta, as roupas moldam a cena de um futuro próxima que desejamos ter

por Ivan Reis
10 de agosto

Belly Palma: “Posso fazer o que eu quiser e do meu jeito”

Influência ativista na internet: Izabelle Palma é a nova voz quando se fala em moda, diversidade e inclusão no Brasil

por Ivan Reis
11 de junho

Moda e woke-washing: a mercantilização do corpo preto em um novo patamar

Jornalista Viviane Rocha relata o sequestro da humanidade das pessoas pretas

por Viviane Rocha
9 de junho

Semiótica da moda: análise do filme “Disturbing Beauty”, da Dior

Semioticista Clotilde Perez analisa os significados da beleza no novo filme da Dior

por Clotilde Perez