VOCÊ ESTÁ LENDO >> Tom Ford parte em direção a Los Angeles durante NYFW
POR Guilherme de Beauharnais | 11 de fevereiro

Na última sexta-feira (07/02), Tom Ford apresentou sua coleção outono-inverno 2020/21 em Los Angeles, no primeiro dia da semana de moda de Nova York – que se estende até o dia 12/02 -. Ford, que fundou sua marca em 2006 depois de atuar como diretor criativo para Yves Saint Laurent e Gucci, assumiu como chairman do Conselho de Estilistas Norte-Americanos (CFDA) em junho do ano passado.

O glamour da coleção alcançou o ápice com o vestido longo brilhante enfeitado com dois laços de veludo preto que a modelo Bella Hadid usou em uma caminhada dramática. Foto: Calla Kessler/The New York Times

A decisão de levar seu mais recente desfile para o outro lado dos Estados Unidos foi tão natural quanto estratégica. O estilista sempre foi apaixonado pela cidade, especialmente por sua ligação com o cinema (Ford também é um premiado diretor). Além disso, o início da NYFW de fevereiro coincidiu com o fim de semana do Oscar: “A última vez que isso aconteceu (há 5 anos) eu desfilei em Los Angeles. Funcionou muito bem”, ele explicou.

A coleção foi uma ode à simplicidade e à praticidade, sem perder em momento algum a sofisticação. “É chique, possivelmente um pouco chapado, e muito sensual” comentou Ford, que se inspirou em uma fotografia de 1967 tirada por Bob Richardson do Barão Alexis de Waldner e Donna Mitchell dividindo um cigarro.

Atento e contemporâneo

Homens e mulheres dividiram a passarela em uma atmosfera moderna e sóbria, com tecidos leves e fluidos e alguns intervalos de ousadia. O estilista resgatou o jeans – que não usava em seus desfiles desde 2015 – e o combinou com casacos pretos e cinzas, criando visuais essencialmente urbanos.

O uso das cores dificilmente marcou o desfile. Saias longas de paetê e suéteres de gola alta apareceram em magenta e azul suave, dividindo espaço com blazers florais em tons de lavanda e rosa antigo. A peça de maior intensidade foi um cafetã laranja vibrante em provável referência ao pôr-do-sol da Califórnia. Ainda assim, os acessórios combinaram perfeitamente cor e fluidez: brincos de penas apareceram em tons desde preto e cinza até o verde e o amarelo.

O glamour da coleção alcançou o ápice com o vestido longo brilhante enfeitado com dois laços de veludo preto que a modelo Bella Hadid usou em uma caminhada dramática. Um vestido de noiva branco de renda com dois laços de veludo no mesmo tom encerrou o desfile.

Tom Ford foi direto em sua mensagem: os preparativos para a nova década devem refletir as necessidades do consumidor. Conforto, leveza e praticidade são indispensáveis, mas o momento também pede elegância e sensualidade. Mais uma vez, Ford explicita com sua coleção o perfil de seu cliente: confiante e preparado, seja para um dia na cidade, uma tarde no litoral ou uma noite no tapete vermelho – ou quem sabe, até mesmo os três juntos -.



ESCRITO POR Guilherme de Beauharnais

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Moda

22 de setembro

Erdem resgata em desfile história de Emma Hamilton, célebre cortesã inglesa

Coleção foi inspirada em uma das mais famosas cortesãs da Inglaterra e amante de Lorde Nelson, arqui-inimigo de Napoleão

por Guilherme de Beauharnais
17 de setembro

Burberry lança aplicativo para clientes VIP

Em parceria com a Apple, ferramenta promove aproximação com o público, estimula as vendas e...

por Giovana Marques
13 de fevereiro

Oscar de la Renta tem coleção confusa e inconsistente

Dupla de criadores que comanda a marca mostrou como fazer um desfile prolixo e sem...

por Guilherme de Beauharnais
8 de maio

Moda em páginas: 7 curiosidades sobre a revista Harper’s Bazaar

Conheça um pouco mais sobre a revista de moda mais antiga do mundo

por Andreia Meneguete Rafaela Carazzai

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
20 de dezembro

Projeto 19M da Chanel: o fortalecimento do luxo

Com nova CEO na casa e inauguração oficial do projeto, a grife francesa promete enaltecer o artesanato de moda de luxo

por Júlia Vilaça
9 de dezembro

Jornalismo de Moda: e se a autora Clarice Lispector fosse capa da Vogue?

No mês que Clarice Lispector faria 100 anos, conheça a relação da escritora com o jornalismo de moda

por Ivan Reis
28 de agosto

Figurino do filme ‘Spencer’: o papel das marcas de moda no cinema

Filme sobre Lady Di traz figurino assinado por Chanel e mostra o poder das marcas nas narrativas em torno de biografias

por Carol Hossni
17 de agosto

O homem contemporâneo segundo Mário Queiroz

Análise de imagem: o professor e designer explica as transformações na moda masculina hoje

por Ivan Reis
10 de agosto

Vida em detalhes: na fila da vacina, vista sua esperança

Enquanto esperar é a única coisa que nos resta, as roupas moldam a cena de um futuro próxima que desejamos ter

por Ivan Reis
10 de agosto

Belly Palma: “Posso fazer o que eu quiser e do meu jeito”

Influência ativista na internet: Izabelle Palma é a nova voz quando se fala em moda, diversidade e inclusão no Brasil

por Ivan Reis
11 de junho

Moda e woke-washing: a mercantilização do corpo preto em um novo patamar

Jornalista Viviane Rocha relata o sequestro da humanidade das pessoas pretas

por Viviane Rocha
9 de junho

Semiótica da moda: análise do filme “Disturbing Beauty”, da Dior

Semioticista Clotilde Perez analisa os significados da beleza no novo filme da Dior

por Clotilde Perez