VOCÊ ESTÁ LENDO >> Marcas, revistas e influencers: a falta de senso crítico na pandemia
POR Andreia Meneguete | 13 de maio

Quando o universo fashion opta por criar narrativas alienadas e fora do contexto social

A regra é clara em tempos de pandemia: o confinamento social é necessário, temos que ficar em casa. Não por opção, mas por necessidade de sobrevivência e do pensar coletivo. O momento não é para mood de férias, de alta performance e produtividade, ou para comportamentos padrões de um mundo antes de todo o caos que em todos vivemos. É um momento de pausa, ajuda mútua e olhar sensível para o todo, que, definitivamente, não está sendo representado na amostra de uma bolha.

Tempo de calma e vagar: consumidor asiático na volta às ruas pós-confinamento (Foto: WGSN)

Com a falta dessa noção de realidade e conexão com o entorno é que marcas, revistas e influenciadores mostram-se apáticos e indiferentes com o que se vê do lado de fora da janela individual em tempos de Covid-19. Ignorando a seriedade de uma pandemia e de tudo que vem com ela – insegurança, crise econômica, desemprego, sucateamento do sistema de saúde, etc. , –  revistas fazem lives discutindo sobre “como será a ida aos restaurantes mais badalados, uma vez que têm fila de espera”; ou fazem interações em forma de games para lembrarem das viagens que os seguidores já fizeram e gostariam de dar check-in nos dias de hoje devido à saudade da vida de antigamente. Influenciadoras, por sua vez, agem como se houvesse diversos eventos sociais ao mostrarem os looks do dia patrocinados por marcas que, curiosamente, bem como suas embaixadoras, também não entenderam que não há ocasiões para trocas de roupas. É tempo de cuidar do cliente, do seguidor e do leitor como seres humanos passíveis de todas as fraquezas e vulnerabilidades que cercam a todos. Não é tempo de vender: é tempo de cuidar da comunidade que se criou em torno de quem se é.

 

Sem perceber ou estar atenta à seriedade do momento, estilista e influenciadora digital Lolita Hannud apoia-se na doença que devasta o mundo para criar categoria de looks do dia na quarentena. (Foto: Reprodução/Instagram)

A busca por engajamento e likes vazios mostra-se como o único direcional mais importante das empresas e influenciadores. Há um certo delay para entender que nunca foi tão urgente se desvencilhar das atitudes egocêntricas e compreender que o outro é mais que uma plateia de seguidores. O dever e a responsabilidade de informar e interagir de forma sensível e respeitosa com a audiência nunca foram tão necessários.  Mas não…  em terras de Instagram só há alienação social.

 

Hasthag sem senso crítico: influenciadora Arícia Silva também é uma das que ignoram a seriedade do problema que o mundo enfrenta.

O sentido da palavra blasè (bem usado no mundo da moda, vale dizer) nunca foi tão genuíno à sua essência: ato de ignorar, com indiferença e certa prepotência, o que acontece ao próprio redor. Com isso, temos personas famosas como Gabriela Pugliesi dando festas em plena quarentena. Outras, criando hastags de looks do dia com “Covid Looks”. Sem contar as marcas que se aproveitam de fetichização da mercadoria para vender máscaras por quase 200 reais, como foi o caso da Osklen. Esvazia-se o significado da função de uma máscara e colocam o teor da moda para vender produtos a preços duvidosos (para não dizer oportunistas!). Entretanto, nada de novo sob o sol – que hoje nasce com molduras de janelas e um sentimento de impotência. Mas é bem aquilo que a gente já sabia do velho mundo e que impera neste momento: enquanto uns choram, outros vendem lenço. E assim vamos seguindo à espera de empatia e senso crítico.

 



ESCRITO POR Andreia Meneguete
Founder @iam.inteligenciaemmoda, lecturer na @nafaap e @iedsp. Consultorias, treinamentos e palestras comunicação, varejo de moda e beleza.

Founder @iam.inteligenciaemmoda, lecturer na @nafaap e @iedsp. Consultorias, treinamentos e palestras comunicação, varejo de moda e beleza.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Business

16 de abril

Mary Quant: a revolucionária feminista por trás da criação da minissaia

A história cheia de desejos por mudanças sociais na vida de Mary Quant, que morreu deixando um legado além da minissaia

por Júlia Vilaça
13 de fevereiro

Oscar de la Renta tem coleção confusa e inconsistente

Dupla de criadores que comanda a marca mostrou como fazer um desfile prolixo e sem...

por Guilherme de Beauharnais
10 de agosto

Entrevista com a ativista Belly Palma: “Posso fazer o que eu quiser e do meu jeito”

Influência ativista na internet: Izabelle Palma é a nova voz quando se fala em moda, diversidade e inclusão no Brasil

por Ivan Reis
17 de abril

8 dicas de carreira no Jornalismo de Moda com Laís Franklin, da Vogue Brasil

Editora do site da Vogue Brasil sinaliza pontos importantes para quem deseja seguir na carreira de jornalismo de moda

por Júlia Vilaça

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
6 de novembro

Negócios em foco: 7 Reflexões sobre o Mercado de Luxo com Carlos Ferreirinha

Em palestra no Iguatemi Talks, especialista do mercado de luxo traz insights do segmento para qualquer setor

por Brenda Luchese
5 de novembro

As estratégias da Jacquemus para se tornar “queridinha” no mercado de luxo

Entenda como a marca criada por Simon Jacquemus virou fenômeno e se tornou referência do conceito de novo luxo

por Rebeca Dias
5 de novembro

Cases de Luxo: como a Burberry e Gucci se conectaram com novos consumidores

Veja como as grifes de luxo se adaptaram para atender às transformações dos novos tempos e dos consumidores

por Rebeca Dias
5 de setembro

Fure a bolha: chegou a hora do streetwear brasileiro ganhar destaque global

A consolidação da moda de rua brasileira e como designers de marcas nacionais chegaram a showroom em Paris.

por Júlia Lyz
12 de maio

Copenhagen Fashion Week: conheça semana de moda internacional sustentável

Marcas do evento que visa promover a sustentabilidade precisam respeitar ao menos 18 critérios para inscrição

por Rebeca Dias
12 de maio

Onde está a moda inclusiva? Os desafios para encontrar roupas para o público PcD

Especialista sobre o assunta aponta o preconceito como principal fator para a falta de inclusão na moda

por Beatriz Neves
12 de maio

O QUE O SXSW 2023 E O ÚLTIMO PARIS FASHION WEEK TÊM EM COMUM?

Durante o maior evento de inovação do mundo, a inteligência artificial roubou a cena e nos faz refletir o papel da moda

por Giovanna Schiavon
12 de maio

8 Perfis do Tiktok para Acompanhar e Aprender Sobre o Mercado de Moda

Muito além do look do dia e de dancinhas, o Tiktok permite a democratização e acessibilidade aos conteúdos sobre moda

por Ana Flávia Gimenez