VOCÊ ESTÁ LENDO >> Figurino do filme ‘Spencer’: o papel das marcas de moda no cinema
POR Carol Hossni | 28 de agosto

Filme sobre Lady Di traz figurino assinado por Chanel e mostra o poder das marcas nas narrativas em torno de biografias

Se você gosta de moda e cinema, provavelmente seu feed foi tomado pelas imagens de divulgação do filme ‘Spencer’, de Pablo Larraín. A produção, cujo título faz referência ao nome de solteira de Lady Di, conta sobre o momento em que a princesa decidiu terminar seu casamento com o príncipe Charles. 

Na pele de uma princesa: Kristen Stewart como Diana Spencer (2021). (Foto: Reprodução)

Se você gosta de moda, também  provavelmente, seus olhos brilharam só de pensar no figurino de um dos membros mais fashionistas da realeza britânica. O que você talvez não tenha notado, é que nos créditos do trailer, lá no finalzinho da tela, aparece “with thanks to Chanel”. Isso mesmo! O diretor, que já trabalhou com a maison em ‘Jackie’ (2016), contará com a parceria da marca em seu novo filme. 

 

Spencer: filme terá estreia no festival de Veneza, em 3 de setembro, e traz figurino assinado por Chanel. (Foto Reprodução)

A relação da Chanel com a sétima arte já é antiga. No início da década de 30, a convite do produtor Sam Goldwyn a maison criou seus primeiros figurinos para a indústria cinematográfica. O contrato milionário com a MGM, além de aprimorar o departamento de figurinos da companhia, também impulsionou o nome da Chanel em território americano. Desde então, criou peças especiais e figurinos completos para o cinema no mundo todo. A própria história da maison e de Gabrielle Chanel já foram contadas no cinema (mais de uma vez, inclusive). Vestiu, dentro e fora das telas, nomes como Greta Garbo, Marlene Dietrich, Romy Schneider, Jeanne Moreau, Blake Lively, Nicole Kidman, Keira Knightley e a estrela de Spencer, Kristen Stewart.

 

Em café Society, Kirsten Stweart também trouxe às vistas dos telespectadores um figurino assinado por Chanel

 

Quando o assunto é branding, os figurinos de cinema se mostram uma ferramenta poderosa para as marcas de moda. Ao se vincular a uma celebridade, personagem ou história, uma marca além de registrar seu trabalho, consegue atingir novos públicos e criar associações que reforcem seu posicionamento, história, valores e essência.  O sonho de vestir a Rainha da Moda e se associar a ela também foi possível para algumas marcas, graças ao cinema. Quem não se lembra do icônico All-Star que apareceu em ‘Maria Antonieta’ (2006)? Ou da coleção de sapatos que Manolo Blahnik desenhou especialmente para o filme de Sofia Coppola? 

Maria Antonieta de Sofia Coppola: a paixão por sapatos da Rainha da Moda interpretada pelo designer Manolo Blahnik, em 2006. (Foto: Reprodução)


Talvez muitas pessoas não reconheçam o nome ‘Hubert de Givenchy’, mas certamente, se lembram do vestido preto de Audrey Hepburn em ‘Breakfast at Tiffany’ s’ (1961). O look se tornou um verdadeiro ícone, e é trabalhado até hoje não só pela Givenchy, autora do vestido, como também pela Tiffany – vide a mais nova campanha estrelada por Beyoncé e Jay-Z. 
Já o papel de um ‘Gigolô Americano’ (1980), vivido por Richard Gere, projetou Giorgio Armani para o mundo, sendo reconhecido internacionalmente como um expert em alfaiataria masculina, quando a marca tinha curtos cinco anos de história. Esses são só alguns exemplos de uma lista extensa de marcas que se tornam reconhecíveis pelo grande público a partir da produção de figurinos – e isso nos leva a pensar o quão interessante é para a construção de uma marca de moda protagonizar seu papel também no cinema.

 

Veja um pouco do que vem por ai em Spencer no trailer abaixo:

Ainda sobre ‘Spencer’, Kristen Stewart diz: “é um mergulho emocional imaginando quem Diana era em um momento crucial de sua vida. É uma afirmação de todas as suas camadas, que começa com seu nome de batismo, Spencer. É um esforço grande de tentar retornar a si mesma enquanto Diana tenta se prender ao que o nome Spencer significa para ela“. Diante da história de uma mulher com a coragem para entrar em um embate com uma das famílias mais poderosas do mundo, já tendo Kristin como uma embaixadora da Chanel e Pablo como parceiro em outro filme, conseguimos conectar alguns pontos e entender o quanto faz sentido para a maison esse trabalho.



ESCRITO POR Carol Hossni
Formada em publicidade e propaganda, flertei muito com o jornalismo ao longo da faculdade, e aqui encontrei um espaço para transformar em textos as minhas observações e pensamentos sobre branding, moda, beleza e comunicação.

Formada em publicidade e propaganda, flertei muito com o jornalismo ao longo da faculdade, e aqui encontrei um espaço para transformar em textos as minhas observações e pensamentos sobre branding, moda, beleza e comunicação.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Moda

14 de julho

Chanel une luxo e punk em homenagem a Karl Lagerfeld

Opulência recatada e sofisticação (com um twist punk) se fundiram para compor o luxo da coleção de alta-costura do outono 2020/21 da Chanel, por Virginie Viard

por Guilherme de Beauharnais
8 de maio

Moda em páginas: 7 curiosidades sobre a revista Harper’s Bazaar

Conheça um pouco mais sobre a revista de moda mais antiga do mundo

por Andreia Meneguete Rafaela Carazzai
22 de março

Alice Ferraz mostra em livro porque encontrar o próprio estilo é importante

Diga-me como te mostras ao mundo que eu te direi quem és. Não tem jeito:...

por Júlia Mello
5 de outubro

Fashion job: aprendizados de carreira com “Emily em Paris”

Drible os clichês da série e veja como ter alguns insights profissionais com a divertida PR americana

por Andreia Meneguete

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
20 de dezembro

Projeto 19M da Chanel: o fortalecimento do luxo

Com nova CEO na casa e inauguração oficial do projeto, a grife francesa promete enaltecer o artesanato de moda de luxo

por Júlia Vilaça
9 de dezembro

Jornalismo de Moda: e se a autora Clarice Lispector fosse capa da Vogue?

No mês que Clarice Lispector faria 100 anos, conheça a relação da escritora com o jornalismo de moda

por Ivan Reis
28 de agosto

Figurino do filme ‘Spencer’: o papel das marcas de moda no cinema

Filme sobre Lady Di traz figurino assinado por Chanel e mostra o poder das marcas nas narrativas em torno de biografias

por Carol Hossni
17 de agosto

O homem contemporâneo segundo Mário Queiroz

Análise de imagem: o professor e designer explica as transformações na moda masculina hoje

por Ivan Reis
10 de agosto

Vida em detalhes: na fila da vacina, vista sua esperança

Enquanto esperar é a única coisa que nos resta, as roupas moldam a cena de um futuro próxima que desejamos ter

por Ivan Reis
10 de agosto

Belly Palma: “Posso fazer o que eu quiser e do meu jeito”

Influência ativista na internet: Izabelle Palma é a nova voz quando se fala em moda, diversidade e inclusão no Brasil

por Ivan Reis
11 de junho

Moda e woke-washing: a mercantilização do corpo preto em um novo patamar

Jornalista Viviane Rocha relata o sequestro da humanidade das pessoas pretas

por Viviane Rocha
9 de junho

Semiótica da moda: análise do filme “Disturbing Beauty”, da Dior

Semioticista Clotilde Perez analisa os significados da beleza no novo filme da Dior

por Clotilde Perez