VOCÊ ESTÁ LENDO >> Entre presas e sangue: Rodarte desfila mood gótico no NYFW
POR Giovana Marques | 14 de fevereiro

Inspirado no gótico e com referência vampiresca, a Rodarte voltou a desfilar na semana de moda de Nova York, na última terça-feira (11). Comandada pelas irmãs Kate e Laura Mulleavy, a marca havia apresentado a sua última coleção, de primavera 2020, com um lookbook. Agora, de retorno às passarelas de Manhattan, o cenário escolhido foi a igreja St. Bartholomew, que teve o interior forrado de folhas, com iluminação dramática de velas brancas.

Com estética gótica, a Rodarte apresentou uma mulher romântica mas nada frágil. Ela sabe se proteger e avançar. E como boa vampira, provavelmente usa até mesmo da violência quando necessário. Foto: Gianluca Palma / Gorunway.com

Uma das grandes inspirações da grife foi o filme Drácula, dirigido por Francis Coppola em 1992. O trabalho da figurinista Eiko Ishioka, que na época recebeu o Oscar por melhor figurino, foi estudado pelas estilistas. Os babados, mangas bufantes e vermelho vivo são exemplo disso.

Força mutante

Destacaram-se as silhuetas dos anos 40, transparência, seda estampada à mão, póa, teias de aranha bordadas, cascatas florais e capas, que fizeram molde também para os vestidos.

Se no início da caminhada uma versão romântica e frágil representava a presa do vampiro, por fim, os tons fechados e modelagens com presença e atitude davam vida à uma mulher forte, até mesmo predadora. Um grito de força pouco óbvio e obscuro.



ESCRITO POR Giovana Marques

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Moda

11 de fevereiro

Diário de bordo: por dentro da Vogue Britânica

Inside Vogue: livro de Alexandra Schulman traz os bastidores da Vogue britânicaPersonalidade carimbada na primeira...

por Letícia Becker
8 de fevereiro

Galliano age no presente e prepara Margiela para o futuro

Nova coleção de alta-costura trabalha signos de luxo associados a soluções ecológicas

por Giovana Marques
14 de novembro

Anote na agenda: Talk Fashion Branding & Drinks

Um encontro (com bons drinks, vale dizer!) para dialogar sobre marcas de moda que andam...

por Andreia Meneguete
16 de março

Curso de Moda em Londres pelo Instagram: um jeito de ter conteúdo, conhecimento na palma da mão

Já pensou em fazer um curso de moda em Londres sem precisar pegar um voo...

por Andreia Meneguete

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
20 de dezembro

Projeto 19M da Chanel: o fortalecimento do luxo

Com nova CEO na casa e inauguração oficial do projeto, a grife francesa promete enaltecer o artesanato de moda de luxo

por Júlia Vilaça
9 de dezembro

Jornalismo de Moda: e se a autora Clarice Lispector fosse capa da Vogue?

No mês que Clarice Lispector faria 100 anos, conheça a relação da escritora com o jornalismo de moda

por Ivan Reis
28 de agosto

Figurino do filme ‘Spencer’: o papel das marcas de moda no cinema

Filme sobre Lady Di traz figurino assinado por Chanel e mostra o poder das marcas nas narrativas em torno de biografias

por Carol Hossni
17 de agosto

O homem contemporâneo segundo Mário Queiroz

Análise de imagem: o professor e designer explica as transformações na moda masculina hoje

por Ivan Reis
10 de agosto

Vida em detalhes: na fila da vacina, vista sua esperança

Enquanto esperar é a única coisa que nos resta, as roupas moldam a cena de um futuro próxima que desejamos ter

por Ivan Reis
10 de agosto

Belly Palma: “Posso fazer o que eu quiser e do meu jeito”

Influência ativista na internet: Izabelle Palma é a nova voz quando se fala em moda, diversidade e inclusão no Brasil

por Ivan Reis
11 de junho

Moda e woke-washing: a mercantilização do corpo preto em um novo patamar

Jornalista Viviane Rocha relata o sequestro da humanidade das pessoas pretas

por Viviane Rocha
9 de junho

Semiótica da moda: análise do filme “Disturbing Beauty”, da Dior

Semioticista Clotilde Perez analisa os significados da beleza no novo filme da Dior

por Clotilde Perez