VOCÊ ESTÁ LENDO >> Gabi Silvarolli mostra como liderar uma marca tradicional
POR Andreia Meneguete | 13 de novembro

Herdeira da Corello lança sua linha de calçados e dá lição de business e liderança em tempos de crise

O ano de 2020 foi um ano onde marcas tiveram que se reinventar e apostar em potenciais criativos e inovadores. Seja na forma de conduzir o business ou na criação de novos produtos e narrativas. Dentro deste contexto, Gabriela Silvarolli, 24 anos, herdeira da Corello, viu a oportunidade de realizar um sonho antigo frente à empresa da família. A jovem lança nesta sexta-feira uma linha de bolsas e sapatos, idealizada e produzida por ela mesma, sob o nome de Corello by Gabi S. “O projeto surgiu há dois anos quando fiz uma viagem a Tulum, no México. Fiquei encantada com tanta história e magia. Foi um mergulho em possibilidades criativas”, explica Gabriela. Clicada pela dupla de fotografas Vanessa Deleu e Vivian Tupin, na própria Tulum, a primeira coleção será uma homenagem à cidade mexicana e traz no portfólio 14 modelos de sapatos e 3 modelos de bolsas.

Gabi Silvarolli, herdeira da marca Corello, lança sua primeira linha de acessórios após atuar há seis anos nos bastidores da label da família

Gabriela, que desde os 18 anos trabalha oficialmente nos bastidores da marca – e tem um cargo de conexão entre os departamentos de marketing, produto e comercial-, é uma espécie de ‘faz tudo’ na empresa, sem qualquer tipo de cerimônia, assumindo no crachá a função de coordenadora de Marketing e Produto. Formada em Publicidade pela FAAP e em Design de Sapatos e Acessórios pela renomada escola britânica Central Saint Martin, Gabriela se mostra incansável por aprendizados e muito apaixonada pela marca que foi criada em 1964 pelo seu bisavô.  “Eu sou uma das primeiras a chegar no escritório e uma das últimas a sair. E aos fins de semana eu visito as lojas, pois sei que é lá que vou entender melhor o consumidor da marca. Eu amo vender os produtos”, revela ela, que concede entrevista do acervo de bolsas da marca. “Aprendi desde cedo que ter uma visão integrada da marca, de todos os departamentos, é o que faz a diferença. Passo por todos os departamentos da empresa e gosto de fazer isso”, complementa.

 

 

Responsável desde treinamentos de equipe até criação de novos produtos, passando por estratégias de marketing e inauguração de lojas, Gabriela é a nova cara da liderança da marca, da qual faz parte da quarta geração. Com uma imagem e energia criativa alinhadas aos desejos e exigências do novo consumidor, ela traz frescor e jovialidade à tradicional empresa, que até pouco tempo atrás era reconhecida por atender um público mais clássico. “É engraçado quando as pessoas percebem e associam algumas peças ou campanhas a mim. Elas conseguem enxergar onde teve alguma participação minha ao longo do processo. E isso não foi intencional, foi apenas acontecendo”, diz.

Entre leituras de muitos livros e participação ativa de grupos de empreendedorismo, Gabriela Silvarolli tem o hábito de adotar mentores em sua jornada com o objetivo de amadurecer sua visão em torno do negócio. Já sobre os desafios sobre o que é ser líder criativa tão jovem, Gabriela é segura diante do cargo que exerce. “Respeito e confiança são coisas que você conquista por meio do exemplo. Não acreditei em liderança impositiva. Adotar a liderança por espelho é o melhor caminho. E sei que tenho muito o que aprender e não vou parar de aprender nunca”, finaliza.



ESCRITO POR Andreia Meneguete
Founder @iam.inteligenciaemmoda, lecturer na @nafaap e @iedsp. Consultorias, treinamentos e palestras comunicação, varejo de moda e beleza.

Founder @iam.inteligenciaemmoda, lecturer na @nafaap e @iedsp. Consultorias, treinamentos e palestras comunicação, varejo de moda e beleza.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Moda

10 de fevereiro

Por trás das lentes de Caíto Maia

Simples assim: um banquete de óculos, acompanhado de uma fartura de relógios tudo sob o...

por Raíssa Zogbi
26 de maio

História: a moda nos tempos das pandemias

Peste negra, varíola, gripe espanhola e coronavírus. A moda retratada em momentos de crises sanitárias.

por Guilherme de Beauharnais
1 de dezembro

Universo do luxo: notas e insights sobre o curso da ESPM

Patricia Diniz e Helena Nardy apresentam de forma didática as particularidades do setor

por Thais Possobom
22 de abril

Balen-gucci: o que fica da união de duas marcas potentes?

Em uma união inesperada com Balenciaga, Gucci traz à luz que quando se reformulam os signos, mudam-se significados

por Andreia Meneguete

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
11 de junho

Moda e woke-washing: a mercantilização do corpo preto em um novo patamar

Jornalista Viviane Rocha relata o sequestro da humanidade das pessoas pretas

por Viviane Rocha
9 de junho

Semiótica da moda: a sensibilidade penetrante de Dior em “Disturbing Beauty”

Semioticista Clotilde Perez analisa os significados da beleza no novo filme da Dior

por Clotilde Perez
22 de maio

Carreira fashion: o que é preciso saber sobre jornalismo de moda

Do impresso ao digital, a jornalista Andreia Meneguete analisa as transformações de um jornalismo que se reinventa no tempo 

por Ivan Reis
22 de maio

GQ Brasil comemora 10 anos com diversidade no lifestyle

Com capas estreladas por Ludmilla, Ronaldo e o empresário David Vélez, a revista reformula seu projeto editorial

por Ivan Reis
22 de abril

Balen-gucci: o que fica da união de duas marcas potentes?

Em uma união inesperada com Balenciaga, Gucci traz à luz que quando se reformulam os signos, mudam-se significados

por Andreia Meneguete
15 de março

Para ler: 5 livros para entender moda masculina

Quer saber mais sobre moda masculina? Então, veja os livros que separamos para você iniciar a sua jornada de estudos

por Ivan Reis
15 de março

GQ Brasil sob nova direção: conheça as mudanças da revista

Agora com direção do jornalista Daniel Bergamasso, título de moda masculina ganha foco para comportamento

por Ivan Reis
30 de dezembro

IAM EDIT #01: o que fazer com os aprendizados de 2020

Ufa, 2020 parece que está chegando ao fim. E a gente tenta fazer uma retrospectiva do que realmente aconteceu e vivemos.

por Andreia Meneguete