VOCÊ ESTÁ LENDO >> Fash&Co: a marca de acessórios de moda criada em tempo real
POR Andreia Meneguete | 9 de setembro

Foi na dificuldade de compreender todas as dinâmicas burocráticas em torno do universo do empreendedorismo que a curitibana Mariana Barboza teve a ideia de expor em tempo real cada passo da construção da sua marca. Do modelo canvas preenchido à escolha dos itens que fariam parte do seu mix de produtos, a jovem de 28 anos, formada em Design de Moda e em Administração, resolveu explorar o storytelling verdadeiro de uma nova habituée no mundo dos negócios. Dúvidas eram o que não faltavam, mas a vontade de fazer acontecer também não. Então, uniu-se tudo aquilo que era preciso para contar uma boa história nas mídias sociais e ela começou a vender os seus produtos mesmo antes deles estarem prontos. Afinal, uma marca não se faz ou se vende somente com os produtos físicos já à mão. O consumo se dá pelo ato de desejarmos algo ou nos envolvermos com algo sem mesmo tê-los de forma material. O consumo imaterial e emocional existem. E Mari está aí para comprovar isso.

Mariana Barboza é o nome por trás da marca Fash&Co: marca criada em tempo real com ajuda dos seguidores do perfil @fashandbusiness no instagram

 

De forma próxima e muito amistosa, no dia a dia, ao contar cada passo que dava para construir sua marca de acessórios de moda, que a curitibana envolveu os seus seguidores do instagram no universo da sua empresa que estava para surgir. Com uma conta nominada Fash&Business, Mariana apresenta conteúdo pertinentes e supereficazes para quem tem o sonho de abrir uma marca. “Por mais que eu tivesse estudado Administração, eu me deparei com uma série de questões que não sabia resolver. Tudo era muito diferente da teoria. Resolvi fazer esse perfil no instagram para poder trocar conhecimento. Quando percebi, as pessoas estavam gostando do que estava criando e já com curiosidades sobre a marca que eu estava criando”, explica a nova CEO do pedaço. O nome da marca Fash&Co, que surgiu ao longo do tempo,veio da essência de como foi o processo: todos os seguidores colaborando e criando juntamente com Mari Barboza. Genuíno, não?

Parte do nome da marca (&Co) vem como homenagem aos seguidores que contribuíram com cada parte do processo que Mariana vivenciou até realmente lançar seus produtos

O COMEÇO DO SONHO
Após uma tentativa frustrada de fazer parte da equipe de uma startup do segmento financeiro, Mariana Barboza juntou as economias que guardara nos últimos anos e somava R$ 10 mil para abrir então, de uma vez por todas, abrir a sua tão sonhada marca de acessórios. “Cheguei até o final de um processo seletivo de uma empresa para trabalhar no Rio de Janeiro. Só que no final do processo me falaram que haviam comunicado o salário errado, que o valor que eu receberia era menor do que o combinado. Meus pais ao verem minha decepção falaram: começa logo a construir a sua marca, acho que você já tem o dinheiro que precisa”, lembra a jovem empreendedora.

Sapatos que fazem parte da primeira linha da Fash&Co: os produtos foram criados tendo como inspiração um conceito minimal e urbano.

E foi com tal quantia que Mariana fez tudo que envolve a sua marca: de sessão de fotos à embalagem, passando pelos produtos e até mesmo a criação do site e logo. Tudo, tudo, tudo mesmo coube dentro do seu orçamento. Sim, é possível criar uma marca sem ter números estratosféricos na conta, acredite!

Com um budget de R$ 10 mil, Mariana Barboza crou toda a sua marca – da sessão de fotos aos produtos, passando pelo logo e criação do site.

Depois de um ano e dois meses no processo de construção de marca e compartilhamento de ideias, a Fash&Co lança seu e-commerce para compras na noite do dia 09/09/18. Segundo Mari, sem perceber, ela escolheu uma data cabalística, na qual representa 9+9= 18 e 1+8=9. Não sei se os números comprovam o sucesso, mas no que depender dos seguidores (e de mim!) esse lançamento vai ser um tremendo estouro! Boa sorte, Mari!



ESCRITO POR Andreia Meneguete
Founder @iam.inteligenciaemmoda, lecturer na @nafaap e @iedsp. Consultorias, treinamentos e palestras comunicação, varejo de moda e beleza.

Founder @iam.inteligenciaemmoda, lecturer na @nafaap e @iedsp. Consultorias, treinamentos e palestras comunicação, varejo de moda e beleza.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Business

10 de fevereiro

Por trás das lentes de Caíto Maia

Simples assim: um banquete de óculos, acompanhado de uma fartura de relógios tudo sob o...

por Raíssa Zogbi
2 de setembro

Moda e sustentabilidade: interseção necessária

Maior que uma tendência, iniciativas sustentáveis na indústria reconfiguram a produção, distribuição e consumo, além...

por Zeinab Bazzi
10 de dezembro

Saturado, desfile da Victoria’s Secret chega ao fim

Evento, que acontecia desde 1995, chegou ao fim tachado pela falta de diversidade

por Giovana Marques
13 de maio

Marcas, revistas e influencers: a falta de senso crítico na pandemia

Quando o universo fashion opta por criar narrativas alienadas e fora do contexto social

por Andreia Meneguete

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
20 de dezembro

Projeto 19M da Chanel: o fortalecimento do luxo

Com nova CEO na casa e inauguração oficial do projeto, a grife francesa promete enaltecer o artesanato de moda de luxo

por Júlia Vilaça
9 de dezembro

Jornalismo de Moda: e se a autora Clarice Lispector fosse capa da Vogue?

No mês que Clarice Lispector faria 100 anos, conheça a relação da escritora com o jornalismo de moda

por Ivan Reis
28 de agosto

Figurino do filme ‘Spencer’: o papel das marcas de moda no cinema

Filme sobre Lady Di traz figurino assinado por Chanel e mostra o poder das marcas nas narrativas em torno de biografias

por Carol Hossni
17 de agosto

O homem contemporâneo segundo Mário Queiroz

Análise de imagem: o professor e designer explica as transformações na moda masculina hoje

por Ivan Reis
10 de agosto

Vida em detalhes: na fila da vacina, vista sua esperança

Enquanto esperar é a única coisa que nos resta, as roupas moldam a cena de um futuro próxima que desejamos ter

por Ivan Reis
10 de agosto

Belly Palma: “Posso fazer o que eu quiser e do meu jeito”

Influência ativista na internet: Izabelle Palma é a nova voz quando se fala em moda, diversidade e inclusão no Brasil

por Ivan Reis
11 de junho

Moda e woke-washing: a mercantilização do corpo preto em um novo patamar

Jornalista Viviane Rocha relata o sequestro da humanidade das pessoas pretas

por Viviane Rocha
9 de junho

Semiótica da moda: análise do filme “Disturbing Beauty”, da Dior

Semioticista Clotilde Perez analisa os significados da beleza no novo filme da Dior

por Clotilde Perez