VOCÊ ESTÁ LENDO >> Seu blog, seu negócio: as dicas e estratégias para ser um influenciador digital
POR Julia Groppo | 3 de abril

Que as influencers digitais (ou blogueiras) estão dominando a internet todos nós sabemos. Mas o que custamos a desvendar e entender é: qual o segredo de tanto sucesso? Se pararmos para analisar, o papel que antes era dos protagonistas das novelas mais famosas do momento agora estão com elas: a de formar opiniões. Isso gera influência direta nas decisões de públicos altamente consumidores. Com isso, as marcas encontraram a fórmula de usar o poder das blogueiras com o objetivo de se conectar ao público, aumentando as vendas e ganhando destaque no mercado. Esmaltes, acessórios, sapatos, looks, destinos de viagens, restaurantes; basta que elas estejam usando, comendo ou fazendo para que vire moda.

Foto Reprodução | Oxygen.ie

O sucesso é tão grande que hoje é possível encontrar blogueiras que cobram um cachê de 200 mil por ação que realizam, pela presença vip em eventos ou por um simples post feito nas redes sociais, como o Instagram. E a regra é clara: quanto mais seguidores você alcança, maior será o seu lucro, já que o seu poder de influência aumenta na mesma proporção.

Mas quem são os influenciadores digitais?
Segundo a pesquisadora de tendências Laura Kroeff, em entrevista para o programa Fantástico, um influenciador digital é alguém que tem pessoas que se abastecem de sua opinião para formar a delas, normalmente usando as redes sociais. Uma matéria da Exame Online afirma que as grandes audiências alcançadas pelas blogueiras vêm evidenciando um mercado forte mesmo em um período de crise. Nos últimos 10 anos, o mercado de moda online quadruplicou seus lucros, boa parte devido os digital influencers. O segredo? Saber fazer da sua imagem o seu maior aliado, transformando fama em dinheiro, montando o seu próprio negócio a partir daquilo que você vê, lê, faz, veste, acredita e divulga. Estas, também, serão exatamente as coisas que os seus seguidores passarão a ter como lifestyle. Isso porque a busca de orientações pela internet ocorre devido ao sentimento de pertencimento, uma necessidade do ser humano, segundo o especialista em psicologia do consumo Ricardo de Castro, em entrevista também ao programa dominical da TV Globo.

O poder de alcance é tão grande que elas saem do mundo da internet para adentrar outros veículos de comunicação, marcando presença em rádios, programas ao vivo da televisão, estampando capas de revistas e, recentemente, até um álbum de figurinhas da Capricho.

Tabata Bocatto é responsável por criar um coletivo de bloggers com foco na expansão das marcas para cidades do interior de São Paulo. “Percebi que as marcas desejavam se comunicar com um público fora da capital, e o meu negócio foi ao encontro dessa demanda”

O coletivo de bloggers do interior de São Paulo “It Bloggers” é um claro exemplo disso. Com o objetivo de reuni-los e assessorá-los para proporcionar conteúdos de qualidade, a fim de  conquistar mais seguidores, o projeto busca novas ações com diferentes marcas para, através de um time seleto de blogueiras de cidades como Campinas, Piracicaba, Americana, Rio Claro e Ribeirão Preto, promover maior destaque, atrair seguidores e gerar lucro. Segundo a jornalista, RP e influencer Tábata Bocatto, – que é também CEO do coletivo -, o lucro das influenciadores, além de depender da quantidade de seguidores, é bastante sazonal. A blogger afirma que tudo depende da demanda do mercado e do que as marcas querem para aquele determinado momento. Além disso, Tábata acredita que o maior segredo é ter em mente que este é um trabalho como qualquer outro, muitas vezes, – por incrível que pareça -, sem glamour algum.

“Diria que é uma equação de comprometimento, dedicação, profissionalismo e um pouco de sorte. Você realmente precisa ter uma plateia, pois sem ela, não vai adiante. A demanda está aí e vai ficar quem for profissional, entregar bons resultados e fizer um trabalho transparente. Não existe segredo, é um trabalho como qualquer outro e você não vira CEO do dia para noite, assim como não será a Thássia Naves amanhã. É um a caminho a ser construído, de muitas parcerias, permutas, idas em eventos sem ganhar nada, apenas para começar a construir sua imagem”, explica. Com a quantidade de influenciadores aumentando a cada dia, muitas pessoas podem se intimidar e pensar que não há mais espaço para novos blogs e perfis bombásticos nas redes sociais. Que a concorrência é alta, estamos carecas de saber, e até podemos nos sentir ameaçados, mas, segundo Tábata, se o trabalho for bem feito, certamente o blogueiro conquistará um espaço que será, por direito, só dele.

“O maior obstáculo hoje com certeza é a concorrência, já que muitos meninos e meninas querem ser influenciadores. Se destaca quem conta uma história real, verdadeira, profissional, cai nas graças do seu público e ainda consegue lucrar com isso. Por isso, quanto mais verdadeiro, melhor. O dinheiro é consequência de uma construção de todos esses pilares, ele não vem do dia para a noite e o influenciador precisa ter isso muito claro”, conclui.

SE INTERESSOU PELO ASSUNTO?
Quer entender melhor como você pode criar um blog de moda e ter conteúdo consistente e alinhado a uma estratégia de negócio? Manda um email para o contato abaixo, pois no final de abril vai rolar um workshop comigo no Lab Fashion sobre o tema em São Paulo. São apenas 12 vagas.

 



ESCRITO POR Julia Groppo

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS EM Business

17 de março

Novidade na prateleira: A Economia da Moda pelo olhar do italiano Enrico Cietta

Porque hoje um bom modelo de negócios vale mais do que uma boa coleção”; o...

por Amanda Ravelli
1 de dezembro

Universo do luxo: notas e insights sobre o curso da ESPM

Patricia Diniz e Helena Nardy apresentam de forma didática as particularidades do setor

por Thais Possobom
26 de abril

Alexandre, o Grande, do grupo Arezzo

O caminho de sucesso do CEO da Arezzo&Co que comanda há quatro anos a corporação...

por Ana Paula Porto
7 de dezembro

5 dicas para produção de conteúdo digital por Vogue Brasil

Bloco de notas à mão e veja o que as editoras da revista têm a dizer sobre o jornalismo de moda online

por Ivan Reis

ÚLTIMAS POSTAGENS

Arraste para o lado
20 de dezembro

Projeto 19M da Chanel: o fortalecimento do luxo

Com nova CEO na casa e inauguração oficial do projeto, a grife francesa promete enaltecer o artesanato de moda de luxo

por Júlia Vilaça
9 de dezembro

Jornalismo de Moda: e se a autora Clarice Lispector fosse capa da Vogue?

No mês que Clarice Lispector faria 100 anos, conheça a relação da escritora com o jornalismo de moda

por Ivan Reis
28 de agosto

Figurino do filme ‘Spencer’: o papel das marcas de moda no cinema

Filme sobre Lady Di traz figurino assinado por Chanel e mostra o poder das marcas nas narrativas em torno de biografias

por Carol Hossni
17 de agosto

O homem contemporâneo segundo Mário Queiroz

Análise de imagem: o professor e designer explica as transformações na moda masculina hoje

por Ivan Reis
10 de agosto

Vida em detalhes: na fila da vacina, vista sua esperança

Enquanto esperar é a única coisa que nos resta, as roupas moldam a cena de um futuro próxima que desejamos ter

por Ivan Reis
10 de agosto

Belly Palma: “Posso fazer o que eu quiser e do meu jeito”

Influência ativista na internet: Izabelle Palma é a nova voz quando se fala em moda, diversidade e inclusão no Brasil

por Ivan Reis
11 de junho

Moda e woke-washing: a mercantilização do corpo preto em um novo patamar

Jornalista Viviane Rocha relata o sequestro da humanidade das pessoas pretas

por Viviane Rocha
9 de junho

Semiótica da moda: análise do filme “Disturbing Beauty”, da Dior

Semioticista Clotilde Perez analisa os significados da beleza no novo filme da Dior

por Clotilde Perez